EventosGuest Post

Ferramentas e outras indicações do CodaBR18, por Matheus Dantas

[Texto por Matheus Dantas, participante do Pontão da ECO-UFRJ]

Durante dois dias de aprendizado com mais de 40 horas de treinamento e várias trocas de conhecimento na ESPM em São Paulo, a Conferência Brasileira de Jornalismo de Dados e Métodos Digitais, Coda.br, em sua terceira edição apresentou diversas ferramentas – tanto para usuários experientes como para novatos – que facilitam o trabalho e divulgação de dados.

Se você não teve a oportunidade de acompanhar o evento, ou esteve lá e não conseguiu anotar tudo, o Insightee traz as principais ferramentas apresentadas e suas utilidades:

Base de dados da ABRAJI

Qual base de dados eu necessito para uma determinada pauta? Por onde começar a busca de dados sobre o sistema prisional? Esta planilha da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo é colaborativa e atualmente contém mais de 180 base de dados de diversos assuntos desde economia e política a dados militares e de segurança pública. Ótimo lugar para iniciar sua busca: http://bit.ly/2DuVDs7

Google Trends

Sem ideia para pautas? Que tal ver o que as pessoas estão pesquisando no google. Keila Guimarães, curadora de dados do Google News Lab, mostrou que as pessoas são bem sinceras quando buscam no google. A ferramenta pode ser usada para encontrar reportagens fora da nossa bolha: as estatísticas de Trends são um termômetro, elas revelam aquilo que as pessoas querem saber mais a respeito. Para aprender a usar o Google Trends a empresa disponibiliza alguns cursos para extrair o melhor da ferramenta: http://bit.ly/2Q43kfC

IramuteQ

A ferramenta gratuita faz uma poderosa análise de textos de forma simples e foi apresentada pelo IBPAD – Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados. A pasta com o tutorial de instalação, apresentação da ferramenta, exercícios e exemplos de análises estatísticas está aqui: http://bit.ly/2KfsMcK

Queremos Saber

Se você se sente em risco quando se identifica ao pedir dados através da LAI (Lei de Acesso à Informação) o projeto Queremos Saber, que conta com apoio da Open Knowledge Brasil (OKBr), pode pedir para você. É necessário cadastrar o pedido no site https://queremossaber.org.br/, guardar o número do protocolo e o robô do projeto faz o trabalho no anonimato.

O órgão público responde a sua solicitação e o projeto disponibiliza a resposta através do número do seu protocolo (é muito importante guardar o número, não há outro tipo de identificação). O projeto ainda não disponibiliza para acesso público as informações já solicitadas, mas durante o evento Camille Moura da OKBr prometeu considerar a ideia.

Atualizando Tarefas Maçantes

Já estamos há muito tempo na terceira revolução industrial, que tal deixar as atividades repetitivas para os robôs? Aprenda aautomatizar tarefas maçantes com o Fernando Masanori: http://bit.ly/2DstJNk

Flourish

Dados são um monte de número e nem sempre a narrativa textual criada ajuda a interpretação do leitor. Que tal criar mapas bonitos, daqueles de grandes reportagens numa ferramenta sem custo nenhum? Graças ao Google News Lab, o Flourish é de graça para jornalistas, confere lá: www.flourish.studio

SQL

Como ‘entrevistar’ grande bases de dados? Tenta o SQL. Nesta pasta você encontra a apresentação da Cecilia do Lago, repórter do Estadão Dados, com o Leonardo Ferreira Leite, desenvolvedor de software no Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro) e algumas bases de dados para exercícios: http://bit.ly/2OTgsjf

Bots no Twitter

Bots estão no twitter tanto para o bem como para o mal e você pode criar um (claro que para o bem) com as metodologias disponibilizadas pelo Pedro Burgos: http://bit.ly/2Kcswen

Dados Abertos para Investigações Jornalísticas

Imagens ou vídeos estranhos na internet? Confira ferramentas para criar o seu lide (Como, Onde e Quando?) nessa apresentação da Barbára Libório e do Adriano Belisário: http://bit.ly/2PAa1GI

Estatística para jornalistas

Tá difícil de entender inferência, correlação e regressão linear? Renata Hirota do Volt Data Lab mostra como sair do básico para nunca mais errar em estatística: http://bit.ly/2qRYYd9

Como tornar sua história de dados mais atraentes?

Essa daqui não é bem uma ferramenta, mas é a apresentação da jornalista Amanda Rossi sobre como deixar sua historia de dados mais atraente para o público, afinal não adianta você ter um ótimo furo e o seu leitor não se interessar por ele. Aqui vão as dicas: http://bit.ly/2A3tMfh

+80 ferramentas

Para completar a lista aqui vão 80 ferramentas para ajudar a pesquisar, obter, coletar, armazenar, limpar, analisar e visualizar dados. Muitas são amigáveis para quem não tem grandes conhecimentos de programação. Elas foram apresentadas pela Natalia Mazotte, diretora-executiva da Open Knowledge Brasil: http://bit.ly/80tools-codabr

Outros links interessantes

+ Mini-tutorial introdutório sobre expressões regulares, por Álvaro Justen

Regressão linear, por Renata Hirota

Thread de conteúdos/indicações por Raphael Hernandes, incluindo documento de anotações sobre palestras e atividades

+ Lista de bases públicas (para jornalistas), por Tiago Mali

Dicas, recomendações e apresentações do #CodaBR18

+ Análise de dados: Pandas não morde, por Fernando Masanori

Jornalismo investigativo open-source: ferramentas on-line para responder quem, quando e onde, por Bárbara Libório e Adriano Belisário

Computação visual para Ciências Sociais e Jornalismo, por Tarcízio Silva

Jupyter Notebook – o bloquinho megablaster dos jornalista de dados, por Fernanda Campagnucci

Sobre Coda.br, humildade e networking no bar

Tags:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.